Bolsonaro conversa com ministro sobre decreto de transportes

A pedido de fretadores, o presidente Jair Bolsonaro conversou com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, nesta quarta-feira (2), sobre a possível revogação do decreto que fala sobre a exploração, mediante permissão e  autorização, de serviços de transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros. 

A conversa foi realizada por chamada de vídeo, já que Freitas foi diagnosticado com a covid-19 e está em isolamento. 

O pedido foi feito por um grupo de proprietários de pequenas e médias empresas de ônibus que oferecem fretamento colaborativo de viagens. Segundo estas pessoas, a norma que o decreto impõe é inconstitucional e, por isso, pedem que seja revogado. 

“Esse decreto impõe uma regra chamada circuito fechado. O mesmo grupo que vai tem que voltar no mesmo ônibus e no mesmo dia”, explicou um dos proprietários ao presidente.

A briga é longa e hoje a Buser, aplicativo de transporte rodoviário, está impedida de operar no Sul do País.

Uma movimentação da ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), para a regulamentação do fretamento intermunicipal no Estado deixou o setor em alerta e eles começaram a se movimentar. “Se o decreto estiver irregular eu revogo hoje ainda”, disse o presidente aos presentes.

Marcelo Abritta, CEO da Buser, também participou da manifestação. “O sistema de fretamento por aplicativos é a inovação do setor, oferecendo mais qualidade no atendimento e viagens por preços muito mais baixos, permitindo acima de tudo o direito de escolha ao consumidor”, disse Abritta.

De acordo com o grupo, o decreto dificulta a entrada de novas empresas no setor e diminui as oportunidades de novos empregos.

“Eu não posso atropelar as coisas. Solução intermediária eu não sei se tem no momento. O que eu senti deles não é revogar o decreto e, sim, modificar. Mas não podemos fazer besteira”, afirmou o presidente.

Fonte: Portal R7.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *